Fatores que influenciam o controle biológico: (i) seleção das bactérias antogonistas

A eficiência do controle biológico exercida por bactérias depende de vários fatores, como: (i) seleção de antagonistas/bactérias eficientes; (ii) condições ambientais favoráveis, (iii) intervalo entre as aplicações, (iv) qualidade do meio de cultura, (v) concentração bacteriana, dentre outros fatores.

No presente tópico, abordaremos o item (i): seleção de bactérias antagonistas para o controle de pragas e doenças. A seleção de bactérias para o controle de determinada (s) praga (s) é um processo laborioso que envolve dispêndio de muitos recursos e tempo. Geralmente, a bactéria candidata a agente de controle biológico é testada primeiro in vitro, depois em casa de vegetação, posteriormente em campo. Dependendo da planta e da praga alvo, tal processo de seleção leva alguns anos. Por exemplo, para a seleção de bactérias eficientes para o controle do crestamento bacteriano comum do tomateiro (Xanthomonas axonopodis pv. vesicatoria), foram necessários dois anos de pesquisa (Ferraz et al., 2015). Uma pequena percentagem das bactérias isoladas em meio de cultura, menos de 1%, pode ter alguma eficiência no controle de pragas. Em um universo de 635 isolados bacterianos da rizosfera de tomateiro, somente três, ou seja 0.47%, foram eficientes no controle da murcha de fusário, crestamento bacteriano comum e pinta-preta do tomateiro (Ferraz, 2012). Para o registro de um pesticida biológico, um longo caminho de experimentos e testes de toxicidade são necessários. Tais experimentos asseguram uma alta eficiência do produto biológico no campo. Determinadas estirpes de bactérias antagonistas são eficientes contra determinadas pragas agrícolas. Não há uma única estirpe de bactéria antagonista eficiente contra todas as pragas agrícolas. Por isso, utiliza-se determinado produto biológico comercial para o controle de determinado problema acometido na cultura de interesse. Por exemplo, o gênero Azospirillum é eficiente para a fixação de N2, Bacillus cereus (ASN01) é eficiente para o controle de doenças fúngicas e bacterianas e o isolado GC-91, Bacillus thuringiensis var aizawai, é eficiente para o controle de lagartas. Independentemente da bactéria a ser utilizada para o controle biológico, o meio Multibacter® possui todos os nutrientes necessários para a multiplicação on farm. A Tecnologia Multibacter® permite uma multiplicação rápida e altas contagens da bactéria de interesse na propriedade rural, reduzindo substancialmente os custos de produção.

 

Hélvio Ferraz
Dr. Bacteriologia de Plantas

 

Referências Bibliográficas:

Ferraz H.G.M. (2012). Rizobactérias e ácido jasmônico no controle de doenças do tomateiro (Tese de Doutorado, Universidade Federal de Viçosa).

Ferraz H.G.M., Resende R.S., Moreira P.C., Silveira P.R., Milagres E.A., Oliveira J.R., & Rodrigues F.A. (2015). Antagonistic rhizobacteria and jasmonic acid induce resistance against tomato bacterial spot. Bragantia 74:417-427.

16/01/2020

Ganhe 10%
Preencha o formulário abaixo para ganhar !