Bacillus subtilis e Azospirillum brasiliense via Multibacter® entregam incremento de 30 toneladas por hectare em cana de 5° corte.

A avaliação comparativa entre o Tratamento Multibacter® Inicial Cana e sua Testemunha nos mostrou, neste caso, um incremento de produtividade da ordem de 30 t/ha.

Bacillus subtilis e Azospirillum brasiliense com uma fonte de Molibdênio (Mo-Nitrogenase) num tratamento de baixo custo entregaram 4.000 kg/ha de açúcar a mais.

Nesta área de 5° e último corte com muitas falhas de perfilhamento em função dos sucessivos cortes da cana, ocorreu a praga Sphenophorus levis, a qual gerou a decisão de aplicar Fipronil via cortador de soqueiras. Aproveitando esta entrada nos talhões injetou-se também, de maneira localizada nas soqueiras, o tratamento com as bactérias supracitadas.

O resultado expresso na fotografia e por números obtidos na balança da usina, ocorreu, principalmente por:

  • Bactérias bioestimularem hormonalmente e nutricionalmente apenas as soqueiras de cana
  • As entrelinhas com forte presença de plantas daninhas não receberam bactérias benéficas
  • Rápido sombreamento das daninhas pela cana-de-açúcar bioestimulada
  • Alta vantagem da cana sobre a matocompetição

Assim, temos percebido com cada vez maior convicção que a interação entre os fatores da produção opera não apenas por adição, mas também por multiplicação e exponencialidade, ou seja, não estamos falando de f1+f2, apenas, mas de f1xf2 e f1f2 dentro de fn fatores.

Em suma, temos que o trabalho com insumos biológicos consiste em aproveitarmos as oportunidades de manejo já, comumente realizadas na lavoura de cana-de-açúcar para injetarmos a parte biológica que vem se revelando cada vez mais como a barra mais baixa na lei do mínimo de Liebig.

Elton A. S. Martins
Eng° Agrônomo

16/09/2019

Ganhe 10%
Preencha o formulário abaixo para ganhar !